quinta-feira, 13 de julho de 2017

Três filmes de drama que farão você refletir por horas

Dramas que, certamente, arrancam muitas lágrimas e conduzem os telespectadores à uma atmosfera de reflexões que não tem fim.
Quem não gosta daquele drama que traz toda a complexidade de um enredo bem traçado e que abre a mente para possíveis discussões, reflexões e assuntos relacionados à vida? Pois então, dentre alguns filmes, separei três que eu assisti recentemente na Netflix e que super indico para os apreciadores do gênero. Lembrando que não são resenhas/críticas, e sim, apenas indicações.

A primeira indicação é Okja, escrito e dirigido por Bong Joon-honos e lançado este ano na Netflix. O filme mostra uma "realidade alternativa" onde o mundo está sofrendo precariedade alimentícia na indústria de carne e, para reverter essa situação, Lucy Mirando e sua empresa descobrem uma nova espécie de animais geneticamente modificados, o superporco, com a pretensão de revolucionar essa indústria. Para que esse plano adquira uma boa visibilidade, uma competição é realizada, esta que consiste em enviar uma espécie para vinte e seis fazendeiros distintos com a finalidade de premiar, após 10 anos, o animal que obtiver o melhor desenvolvimento; dito isso, é ai que conhecemos Okja, a superporca que foi direcionada para um fazendeiro da Coreia e vencedora da tal competição.
Embora o filme mostre momentos cômicos e o afeto ímpar entre Okja e Mikha, a neta do fazendeiro, o enredo lança as pesadas críticas capitalistas, transparecendo a terrível situação dos animais em laboratórios, abatedouros e tudo o mais. Certamente, esse é um filme que te faz pensar muito sobre os alimentos que chegam em sua mesa e em outros meios mais pacíficos. Assista. Vale muito a pena.





Certamente, Lion foi um dos melhores filmes que eu já assisti em 2017. O longa é baseado em uma história verídica e vai girar em torno de Saroo, um menino de cinco anos que vive com a sua família em uma das áreas mais pobres da Índia. Até que numas das saídas rotineiras para conseguir alimento para dentro de casa, ele adormece e acaba parando no vagão do trem, onde é levado para muito longe de sua terra natal. Com dificuldades de comunicação, desespero e solidão  estampados nos olhos, uma instituição o coloca disponível para adoção, resultando na experiência de tornar-se filho de um incrível casal de australianos. Posteriormente, o filme dá um salto e presenciamos Saroo com vinte e cinco anos, vivendo na Austrália com seus pais adotivos e namorada, todavia, com a insaciável vontade de encontrar a sua família biológica.
Sem dúvida, não é à toa que o filme recebeu seis indicações ao Oscar 2017; temos aqui um baita trabalho, pois além de vivermos essa intensidade das fases de Saroo e se emocionar bastante, Lion trata o tema adoção com maestria; Sue, interpretada por Nicole Kidman, a mãe adotiva, e um olhar extraordinário sobre a escolha e a vivacidade de amar, independente das diferenças.
Por fim, é um filme muito tocante! É um filme que reforça o elo familiar e a sua real importância. Super indico.
 
 

A última indicação, mas não menos importante, é o audacioso e incrível Moonlight, primeiro filme de temática LGBT a ganhar o prêmio de Melhor Filme pelo Globo de Ouro e pelo Oscar.
Nesse longa-metragem vamos acompanhar a história de Chiron em três fases: a infância infeliz do garoto, onde  percebemos que ele é deixado à própria sorte por sua mãe que é viciada em drogas e zombado pelos colegas que o chamam de "bicha"; a adolescência sendo marcada pela descoberta da sua própria identidade e sexualidade; por fim, a adulta, esta que já nos mostra um Chiron meio que resolvido, porém, cheio de sensíveis sintomas do passado.
Vejo Moonlight como um drama singular por tratar de desconstrução de estereótipos, bullying, família e sexualidade de forma tão transparente e nada vulgar ou imoral.
A grande questão aqui, parando para refletir, é que o mundo não está preparado para aceitar as diferenças e o quanto isso pode modificar a trajetória de uma pessoa. Filmaço!




Espero que vocês possam curtir as indicações, pois, realmente, esses filmes não são perda de tempo, muito pelo contrário, agregarão bastante. Abração e até mais.

7 comentários:

  1. Adorei as dicas, dos três eu só assisti Okja

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Das suas indicações a única que eu quero tanto assistir quanto ler ao livro é lion. Mas quem sabe eu não assista aos outros também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, bom demais. Chorei, chorei, mas chorei muito com esse filme.

      Excluir
  3. Ola!! tudo bom?
    Adoro assistir a dramas de vez em quando! Lion e Moonlight por conta do OSCAR, mas definitivamente foram muito bem elogiados. Assistirei em breve assim que possivel! amei o post!
    Beijos,
    Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br

    ResponderExcluir
  4. Já vou colocar na minha lista, adoro filmes de drama. Beijos, Cah.

    ResponderExcluir
  5. Anotei todos ! Sou apaixonada por dramas. Uma chorona de carteitinha! Não assisti nenhum desses. Vou te indicar, sobrevivendo com lobos esse filme me fez secar as lágrimas de tanto que chorei ! Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Adorei ad divas, eu nunca assisti nenhum desses filmes, mas já ouvi falar super bem, confesso que evito filmes e livros tristes kkk, me afeta muito.

    ResponderExcluir

© CORUJANDO NOS LIVROS - PROIBIDO CÓPIAS. TEXTOS E IMAGENS POR PATRICK.
ENCOMENDE SEU LAYOUT COM: MICHAEL VASCONCELOS.
imagem-logo